*

Minha vida,
meus sentimentos,
minha estética,
todas as vibrações
de minha sensibilidade de mulher,
têm, aqui, suas raízes.

Cora Coralina

(Yohana Sanfer)

"Não sei se viro menina, se viro mulher, se viro todas. Se viro santa, se viro doida. Quem sabe viro onça. Viro a mesa, viro o jogo, viro a página. Quem sabe levo a vida do avesso?! Quem sabe eu viro eu mesma. Mas pode ficar tranquilo. Eu me viro."


Participe da enquete a seguir!


Você acredita que os sonhos trazem mensagens para nossas vidas?
Sim, sempre dão certo com minha realidade.
Não, isso é uma bobagem!
As vezes tem alguma coisa a ver mesmo.
Não é apenas coincidência!
Sim, olho o significado de todos!



terça-feira, 11 de agosto de 2015

Plantar e colher


Certa vez o apóstolo Paulo disse aos Gálatas, que tudo que o homem semear isto também colherá. 
É certo que colhemos o que plantamos, como ele disse e se estamos sofrendo por algo, estamos colhendo frutos das sementes amargas ou ruins que semeamos no passado.
Sendo assim, comecei a pensar sobre esta questão, será que nunca iremos deixar de colher frutos ruins daquilo que plantamos levianamente no passado? 
Isto me preocupou devido as circunstancias que estou a viver hoje por causa de sementes inconsequentes que andei a semear a quase uma década atras, logo tive uma resposta como consolo, admoestação e orientação para esta minha  confusa, porém abençoada e bem intencionada vida.  
Sempre temos sementes junto conosco como um trabalhador da terra que sai para plantar, já que a vida aqui representa um campo. Ele leva consigo as sementes, quando chega o local ele lança a semente na terra e depois espera que ela nasça, cresça e dê o seu fruto, para então ser colhido na hora certa.
Se em nossas vidas começamos a plantar sementes boas, começaremos logo a colher os frutos bons, mas como toda a plantação tem um tempo para nascer, crescer, dar o fruto e só depois ser colhido, as nossas ações também são assim. As pessoas não vão percebendo a mudança de uma hora pra outra, é necessário que gere vida e de o fruto.
mas é importante deixarmos de plantar de qualquer maneira, sem amor, sem compromisso, sem dedicação, para evitar de plantar o mal e começarmos a plantar só boas sementes, pois, no tempo determinado colheremos bons frutos.
Mas não é sempre assim, hora ou outra em nossas vidas nos deparamos com situações que nos fazem perder o controle e tiramos o foco nas sementes boas e acabamos pegando sementes amargas, as vezes até mesmo sem perceber, por falta de cuidado, mansidão, sensibilidade e amor ao próximo, enfiamos a mão na saca de sementes ruins, pois elas também estão sempre conosco ao lado das boas, e a lançamos na terra que a recebe da mesma forma que receberia a boa, mas quem a plantou talvez nem percebe na hora, ou durante o crescimento, mas logo chega a colheita, aí é certeza de que não foram sementes boas, pois os frutos não são bons,  são frutos de sofrimento e não de alegria, de confusão e não de paz. 
Por isso é bom termos cuidado, vigilância, equilíbrio na hora de lançar as sementes, ou seja, não usar as sementes ruins, por mais que estejam ali junto das boas, pois ela não desaparecem de nossas vidas, nós apenas temos que aprender a não usá-las.
Para que, com o tempo, quando passarem várias colheitas boas de nossas vidas as outras pessoas possam sozinhas perceberem os bons frutos em nós. 
Não há necessidade de espalhar a todos a semente que  plantamos, pois ela germinará, crescerá e a plantação aparecerá com certeza, seja ela boa ou má. 
E os frutos serão notáveis.


Postar um comentário