quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Verdade que magoa


Tem brincadeira que ofende, tem ofensa que é brincadeira, depende do grau de intimidade, mas se tem uma coisa que todo mundo diz é que tem palavra que magoa. 
Pensando sobre isso e lendo coisas por aí acabei percebendo algo que ta na cara, só não prestamos atenção, mas a palavra que ofende é a que fala a verdade sobre nós. 
A hipocrisia é tão grande no ser humano, que se você fala algo que não é verdadeiro não ofende tanto ou não ofende quanto se falar a verdade, na maioria das vezes gera sorrisos, talvez gargalhadas. Vou me colocar no exemplo. 
Se me dizem que sou prepotente, arrogante, ou qualquer coisa do tipo, magoa... Magoa porque de veras sou, apesar de humilde e muito humana, tenho meu lado negativo, todos temos, que mesmo sem perceber usamos no dia a dia, até mesmo por questão de sobrevivência em meio a luta que é conviver dia a dia com pessoas como eu, pessoas boas, porém com variações de humor e distúrbios de personalidade, por mais sinceros, justos, mansos, inteligentes que possam ser. 
Não existe ninguém melhor que ninguém, somos feitos da mesma matéria, pelo mesmo Criador, somente nos diferenciamos conforme vivemos, convivemos, decidimos, andamos e nos relacionamos. Somos moldados dia após dia pela vida, por atitudes que temos, as vezes corretas, as vezes convenientes, mas são atitudes independentes. Apesar de a maioria das pessoas terem boa índole, não quer dizer que as atitudes são, pois o que é certo pra um, não é certo pra outro e assim vai.
Mas o assunto em questão é a palavra que nos magoa. 
Preferimos nos sentir magoados, ofendidos quando apontam nosso lado negativo do que mudar de atitude, passar a ter  uma atitude de mudança, isso porque não percebemos que estamos errados, que somos seres errantes, sempre pensamos que o outro é, mas pensamos que estamos fazendo o certo, que estamos agindo corretamente sempre, mas essa é a nossa visão sobre nós mesmos, mas o outro não nos vê assim.
Pensando assim, hoje me propus uma tarefa, me ver como o outro me vê, quem sabe assim começo a melhorar meu viver, corrigindo o que as vezes é razão de ser magoada. Ao invés de me sentir ofendida localizar o erro e buscar concertá-lo. Pode parecer uma tarefa difícil, talvez 
impossível, mas reconhecer já é o começo.

Postar um comentário