terça-feira, 16 de julho de 2013

Podia ficar assim? Podia! Ficou? Não!


Na linha do meu tempo, vivendo, conhecendo, aprendendo, ensinando, observando, me mostrando, esquivando, esbarrando, esquecendo, recordando, ouvindo, falando. Enfim com a alopramento de uma ameba abandonada, no possível da conformidade tudo acontecia. 
Mas podia ficar assim? Podia! Ficou? Não! Eis que, ressurgindo das cinzas dos meus sentimentos, por uma fagulha de fogo que lancei ao vento, tirando o gelo do meu coração e me deixando em lágrimas de paixão. 
Tudo que ficou pra traz eu viveria de novo aqueles momentos, sentiria a excitação de te esperar mas também a dor de te perder, sem nenhum motivo sumir, partir e me deixar órfã de qualquer explicação,  um xingamento sem motivo, seria melhor que o tal desprezo. O tempo se encarrega de tudo, oxida as engrenagens e cura as feridas. O pranto cessou o pensamento se norteou e a vida se tornava cada vez mais normal sem a sua existência. Podia ficar assim? Podia! Ficou? Não!
Suas poucas, frias e acinzentadas palavras por instantes  passaram-me uma falsa esperança de que se importava, me deixou feliz, feliz por alguns instantes, suas palavras foram tomando sentido, tornando-se mais claras e mostrando o real significado, me dei conta de que sempre me fiz uma pergunta para amenizar meu sofrimento e mascarar a minha vergonha; Será que ele morreu? Partiu da minha vida por que morreu?  Aí percebi que o sofrimento tem que acabar sem mascaras, e a falsa esperança que provocou hoje foi o melhor presente que poderia me oferecer na vida depois que me deixaste. 
Entendi e descobri que você  não morreu naquela época, mas sim, eu morri pra você, mas hoje quando descobri que não morreu e me mostrou isso aparecendo como uma fagulha para me incendiar e revirar meus sentimentos. Só hoje quando renasci em seu pensamento, comunico na minha vida o seu falecimento.

domingo, 14 de julho de 2013

Amor?


Seria amor?
Quando o coração não quer não adianta insistir.
Os pensamentos não batem, não seguem o mesmo ritmo.
Voam em sentido contrário buscando outras emoções.
O tempo passando e nos dois mergulhados 
nas mentiras e ilusões que alimentamos.
Cheio de nada ilhados de solidão.
Quero em outra oportunidade que a vida me possa dar,
o prazer de sentir no peito um verdadeiro amor
se o nosso acabou é porque não era, ou acha que era?
vamos tentar nos encontrar em outros corações 
Pode ser que em uma tentativa desesperada de 
encontrar o amor,  beijando outros lábios, sentido outros braços.
Descubra que no mais profundo do meu ser eu não queria
deixá-lo, mas sim, que viesse atras de mim.
Será que isso é amor?


Então... quanto tempo meu blog!!




Gostaria de dizer, olá estou de volta, mas não é apropriado, pois não sei se vim pra ficar, mas enfim estou aqui hoje.
Compartilhei um vídeo que gostei, achei engraçado e resolvi guardar para posteridade.
Porque pensamos tanto em guardar as coisas?
E ao mesmo tempo desprezamos pessoas que deveriam ser importantes em nossa vida, como um marido por exemplo. rsrs 
Boas férias a você que tem férias.

10 hours of "What is love" (Jim Carrey, v.2) - Para posteridade kkk risos