quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Atitude







Iniciar um texto é sempre meio irresoluto pra mim, normalmente é o início que garante se o leitor chegará até o final, quando se trata desses textos esporádicos, mas, na verdade os meus escritos quase sempre óbvios, com um final que nem sempre justifica o começo mas que se desenvolveu em meio aquilo que começou sem rumo.

É madrugada e comecei a pensar em algumas coisas e tive logo que vir por no papel, ou seja, na tela, porque vai que durmo e sonho com outras coisas ou com nada e acordo com algumas ideias que não sejam mais as de agora?
Bom, por via das dúvidas, vou tecer.
Lembrei-me de algo que um amigo me disse a respeito de como sempre terminam seus relacionamentos, eu ri tanto que se comparasse com um cano estourado, teria alagado o meu apartamento de riso, se fosse água.
E de repente.. como sempre acontece comigo, uma ideia e pah!
Lá estava eu, transmutando aquilo e tirando proveito para benefício próprio e a quem interessar.
Segundo ele, todos seus relacionamentos só acabam quando a sua parceira lhe atira panelas, mas elas tem que acertar, e pior ainda, tem que doer. Então eu perguntei (obvio), porque isso? Ele disse que se não acontecer isso ele nunca sabe se realmente acabou, certa vez ele terminou uma relação, brigaram, acabou e não houve o tal ''panelaço'', passaram-se dois anos ele não sabia se ainda tinha algo com ela, mesmo sabendo que estavam juntos e continuaram por mais oito anos após o término aquele dia, ate que um dia ele não suportando mais aquela situação e dúvida, a importunou até que a tão esperada panela voou em sua direção, causando-lhe o estrago necessário para a resposta esperada e a conquista da tal liberdade.
Eu não imaginava que isto teria algum sentido no momento que ele me contou isso, a não ser pra rir e passar pra frente esta experiência louca, que seu amigo faz e dizer o quanto é louco.
Mas aconteceu algo comigo hoje que foi bem parecido, mas nem chegou perto de ser o mesmo. Além do que, é sobre o espiritual que quero falar.
A vida da gente é como um caminho traçado e vamos andando por ele, (já dizia um velho senhor de fala fina rs), que no percurso encontramos um cavalinho e nos alegramos e pensamos, oh que bom, vou subir nele, descansarei minhas pernas e continuarei meu caminho.
Nesse caminho, encontramos uma vaca, que beleza, terei meu leitinho de todos os dias.
E seguindo vamos o caminho.
E de repente o cavalo empaca, pronto e agora?
Eu não quero descer, acomodado sobre a sela, mas sou obrigada a descer, pois a vida continua o caminho é longo e se eu ficar montada no tal do animal empacado, ficarei ali, então escolho descer, me esforçar e caminhar, arrastando minha vaquinha, mas o destino continua a ser buliçoso comigo, então a vaca morre e pensamos, agora como vou andar, como vou continuar, daí você se recorda que no começo não tinha o cavalinho, não tinha a vaquinha e então continua.
E junto ao corpo temos nossa bolsa de sementes, as boas e as más, vamos semeando por onde passamos e colhendo a medida que passamos pelos mesmos lugares novamente.
Vivemos uma relação com a vida que não sabemos o ponto que está, pois acostumamos com a situação, uma vez que, se caímos do cavalo, não mudamos de atitude, a vaca foi pro brejo, não mudamos a atitude, sabe o que eu comecei a pensar hoje meu amigo?
Que as vezes precisamos mesmo de levar umas paneladas na cara pra entender que acabou, que não tem mais condições continuar do jeito que está, as vezes é preciso dor pra sorrir, as vezes é preciso chorar pra limpar as vistas e retirar travas que estão nos olhos te impedindo de enxergar uma vida inaudita.
Mudar de fato as atitudes, não tem como a vida ser diferente se todos os dias fazemos tudo igual.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Menino


Não gosto de pessoas superficiais.
Gosto de pessoas simples...
Puras...
Meigas...



Que me tragam paz


Numa simples frase.



Me deixam leve


Com um sorriso.



Despertam desejos


Num olhar.



Me deixe nas nuvens


Com a sensação de estar flutuando.



Que me façam ouvir com a alma


E falar com o coração.



Que transforme o homem que sou


No menino que sempre fui.



Autor: Leonardo Gomes

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Lacônico


O que dizer sobre você?

Como falar de você?
Não vou descrever você...
Posso até ser lacônica...
Pois, lacônico é você!

quarta-feira, 2 de março de 2016

Lamento


Gostaria tanto que 

algumas lembranças 

fossem frutos de invenção 

de minha mente feraz, 

pois assim não teriam poder de 

influencia em minhas emoções.


Gostaria tanto de 

apagar da memória

aquilo que me traz desconforto 

e tirou-me esperanças.


Gostaria tanto de não ter 

escrito muitas coisas

que saíram com lágrimas.





Gostaria tanto, mais tanto 

de me controlar e 

não escrever nada disso.


Lamentavelmente escrevo.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Gestação

Ultimas semanas de gestação...
Ficamos desorientadas, sensações diversas, medo, felicidade, ansiedade, alegria, dor, desconforto, curiosidade de ver o fruto do nosso ventre, preocupações, enfim, stress total...
É como me sinto agora, pois dizem que a vida começa aos quarenta anos e na altura que estou, quase que acredito mesmo nesta possibilidade.
Nasci na primeira semana do mês de março a quase quarenta anos atrás, parece que foi ontem...
Mentira, não parece!

Tem tempo pra caramba, mas me sinto como se não tivesse vivido uma total realidade e que até agora minha vida tenha sido só um ensaio, como se a minha vida da  razão começasse agora, aos quarenta anos! 
Sendo assim, creio que posso dizer:
Vem quarenta, chega aí que to preparada. 

E agora saio do "...inta" depois de uma década de pura emoção, antecedida por outra década, do "...inte", de puro entusiasmo e entro no "...enta" e que esse sufixo seja o da razão, da gratidão e realização, pois nele ficarei até completar um século de vida ou até o fim dos meus dias. Então sinto aqui que começa a fazer sentido tudo o que sofremos e porque sofremos com tanta intensidade e também fica tudo tão mais claro de repente, resoluções, decisões. 
Como se me separasse da placenta que me alimentava com ilusões e me limitava com conformismo, como se cortasse o cordão que me prendia confusão, me ligava a indecisão, a imbecilidade, passo a enxergar e me livrar das algemas que me prendem a fantasmas do passado. 
Como se saísse literalmente do ventre outra vez, para aos poucos começar tudo de novo, aprender a falar... falar menos, pensar e ouvir mais. Aprender a andar firmado e seguramente por caminhos tranquilos. Reaprender a aprender, começar a observar, ao invés de mostrar, aprender a aceitar mais os outros, a me aceitar melhor, me posicionando a altura que sou, nem mais nem menos, só única, nem melhor nem pior, só diferente, aprender a viver mais e melhor, aprender a olhar no nível, não por cima e muito menos por baixo, mas no olho, encarar de frente. Passar a  sofrer as consequências, romper barreiras, superar limites, ser grato. Ser grato não só por entrar na idade de quarenta anos, mas por ter tido o privilegio de ter vivido até aqui pra recomeçar, dar a volta por cima, realizar o voo de renovação, a minha renovação, a renovação da águia!

Um breve relato...
Ano passado, em junho, exatamente nove meses antes do meu aniversário, começaram os dias mais difíceis da minha vida, posso assim dizer, mas eu ainda não sabia que seriam difíceis, quando eu disse a uma pessoa que a partir daquele dia eu estava no ventre pra nascer de novo pois a vida começa aos quarenta anos, então eu estava grávida de mim para dar-me a luz somente em março, nove meses depois, quando faria quarenta anos...
Brinquei, meditei sobre isso, mas sequer imaginei o que seria estar no ventre novamente. Pois aqui estou eu, nas ultimas semanas de gestação, escrevendo de dentro do ventre de formação, para enfim, nascer pra vida, para a verdadeira vida... Sentindo fortes dores de parto, mas confiando, como toda gestação, eu sei que valerá a pena todo desconforto, todo stress da gestação, quando chegar o dia de dar a luz, o dia em que chegarei a este mundo com louvor, nos braços do meu Senhor, só assim,  então a minha vida recomeçará aos quarenta anos... Firmada nEle, buscando a Ele, grata a Ele.
Este é o meu sentimento e relato de hoje, com fé e esperançosa que dias melhores virão me divirto comparando a realidade com a simplicidade e grandeza da sabedoria popular, amparada na palavra do Senhor.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Ele está aqui


Senhor, eu sei que tu estás presente aqui neste lugar.
É a tua palavra que diz, que conosco iria estar e como a minha fé posso vê-lo operar.

Senhor, eu sei que tu estás presente aqui neste lugar.

Te louvamos aqui reunidos, cultuamos seu nome bendito, é como muita alegria que sinto que estás aqui.

Tu estás aqui meu Senhor e me ouve.

Tu estás qui meu Senhor e vê,
Eu grito aleluia pra te engrandecer!
Glória ao Senhor ele está aqui,
Glória ao Senhor Ele quer te ouvir, grite aleluia, Ele está aqui!


(Recordações)

Toca-me Senhor


O que seria de mim, sem a tua misericórdia?
Qual seria o meu fim, se não fosse a mão do Senhor?
O teu amor me chamou, tua a palavra me faz renascer.
Eu me sinto agradecida e me prostro diante de ti!

Toca-me Senhor, com a brasa do teu altar,

Quero ser um vaso santo, pra que o Senhor possa me usar.
Toca-me Senhor, com o fogo vem purificar.
Pra que eu seja um instrumento da tua obra em todo lugar.


(Recordações)

domingo, 10 de janeiro de 2016

Sobre as águas


Minha vida é andar por sobre as águas, confiando na presença do Senhor.
Não importo com as tempestades, nem preocupo com o que há ao meu redor.
O meu alvo é Jesus meu Salvador!

Provações, preocupações vem e vão mas permaneço, 

olho a diante é Jesus minha força que eu vejo.
Eu não posso parar, há perigo de afundar,
Mas preciso caminhar por sobre as águas!

Caminhando na palavra do Senhor, vejo que suas promessas são cumpridas.

Eu preciso confiar, na palavra de Deus esperar e Ele me fará andar por sobre as águas!


(Recordações)

sábado, 2 de janeiro de 2016

Superando


Almejo com sinceridade, arrojo e coragem, que a série que se inicia agora no dia das primícias, pelo avançar de mais um ano do nosso calendário, seja uma fase infinitamente melhor, gratificante, saudável, feliz e amável do que a que se concluiu no dia de ontem. E com confiança que faremos o possível para que isto se realize, para que se torne uma verdade, uma comprovação diária de satisfação e vitórias, e que seja um tempo  verdadeiramente de superação.
Superação não depende de outros, simplesmente de cada um pra sua própria vida, e por ser assim a nossa vitória é resultado de nossos esforços, buscas e compromisso.
Que sejamos cientes de que cada resultado obtido não é mérito ou culpa de terceiros, mas, nosso.
Nós somos responsáveis por nosso triunfo, mas também por nosso insucesso.
Que possamos ser mais comprometidos com nós mesmos, ao invés de criticar o outro.
Ter fé em Deus, acreditar mesmo que Ele é o dono de tudo, inclusive das nossas vidas, e quem é dono, cuida.
Não participar das crises só porque estão por aí, escolher Cristo sempre.
Reconheça a felicidade em pequenas coisas, em detalhes que você ignora, a felicidade é independente de valores, lugares, companhias, ao invés de procurá-la reclamando e murmurando por nunca encontrá-la, perceba-a.
Agradeça, seja grato. 
Agradeça pelo que tem, pelo que já teve e perdeu, pelo que está por receber e pelo que se pode doar, agradeça pela vida. 
Agradeça por viver, por melhorar e superar sempre!