*

Minha vida,
meus sentimentos,
minha estética,
todas as vibrações
de minha sensibilidade de mulher,
têm, aqui, suas raízes.

Cora Coralina

Algumas alterações

Algumas alterações

(Yohana Sanfer)

"Não sei se viro menina, se viro mulher, se viro todas. Se viro santa, se viro doida. Quem sabe viro onça. Viro a mesa, viro o jogo, viro a página. Quem sabe levo a vida do avesso?! Quem sabe eu viro eu mesma. Mas pode ficar tranquilo. Eu me viro."


Participe da enquete a seguir!


Você acredita que os sonhos trazem mensagens para nossas vidas?
Sim, sempre dão certo com minha realidade.
Não, isso é uma bobagem!
As vezes tem alguma coisa a ver mesmo.
Não é apenas coincidência!
Sim, olho o significado de todos!



quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Verdade que magoa


Tem brincadeira que ofende, tem ofensa que é brincadeira, depende do grau de intimidade, mas se tem uma coisa que todo mundo diz é que tem palavra que magoa. 
Pensando sobre isso e lendo coisas por aí acabei percebendo algo que ta na cara, só não prestamos atenção, mas a palavra que ofende é a que fala a verdade sobre nós. 
A hipocrisia é tão grande no ser humano, que se você fala algo que não é verdadeiro não ofende tanto ou não ofende quanto se falar a verdade, na maioria das vezes gera sorrisos, talvez gargalhadas. Vou me colocar no exemplo. 
Se me dizem que sou prepotente, arrogante, ou qualquer coisa do tipo, magoa... Magoa porque de veras sou, apesar de humilde e muito humana, tenho meu lado negativo, todos temos, que mesmo sem perceber usamos no dia a dia, até mesmo por questão de sobrevivência em meio a luta que é conviver dia a dia com pessoas como eu, pessoas boas, porém com variações de humor e distúrbios de personalidade, por mais sinceros, justos, mansos, inteligentes que possam ser. 
Não existe ninguém melhor que ninguém, somos feitos da mesma matéria, pelo mesmo Criador, somente nos diferenciamos conforme vivemos, convivemos, decidimos, andamos e nos relacionamos. Somos moldados dia após dia pela vida, por atitudes que temos, as vezes corretas, as vezes convenientes, mas são atitudes independentes. Apesar de a maioria das pessoas terem boa índole, não quer dizer que as atitudes são, pois o que é certo pra um, não é certo pra outro e assim vai.
Mas o assunto em questão é a palavra que nos magoa. 
Preferimos nos sentir magoados, ofendidos quando apontam nosso lado negativo do que mudar de atitude, passar a ter  uma atitude de mudança, isso porque não percebemos que estamos errados, que somos seres errantes, sempre pensamos que o outro é, mas pensamos que estamos fazendo o certo, que estamos agindo corretamente sempre, mas essa é a nossa visão sobre nós mesmos, mas o outro não nos vê assim.
Pensando assim, hoje me propus uma tarefa, me ver como o outro me vê, quem sabe assim começo a melhorar meu viver, corrigindo o que as vezes é razão de ser magoada. Ao invés de me sentir ofendida localizar o erro e buscar concertá-lo. Pode parecer uma tarefa difícil, talvez 
impossível, mas reconhecer já é o começo.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Plantar e colher


Certa vez o apóstolo Paulo disse aos Gálatas, que tudo que o homem semear isto também colherá. 
É certo que colhemos o que plantamos, como ele disse e se estamos sofrendo por algo, estamos colhendo frutos das sementes amargas ou ruins que semeamos no passado.
Sendo assim, comecei a pensar sobre esta questão, será que nunca iremos deixar de colher frutos ruins daquilo que plantamos levianamente no passado? 
Isto me preocupou devido as circunstancias que estou a viver hoje por causa de sementes inconsequentes que andei a semear a quase uma década atras, logo tive uma resposta como consolo, admoestação e orientação para esta minha  confusa, porém abençoada e bem intencionada vida.  
Sempre temos sementes junto conosco como um trabalhador da terra que sai para plantar, já que a vida aqui representa um campo. Ele leva consigo as sementes, quando chega o local ele lança a semente na terra e depois espera que ela nasça, cresça e dê o seu fruto, para então ser colhido na hora certa.
Se em nossas vidas começamos a plantar sementes boas, começaremos logo a colher os frutos bons, mas como toda a plantação tem um tempo para nascer, crescer, dar o fruto e só depois ser colhido, as nossas ações também são assim. As pessoas não vão percebendo a mudança de uma hora pra outra, é necessário que gere vida e de o fruto.
mas é importante deixarmos de plantar de qualquer maneira, sem amor, sem compromisso, sem dedicação, para evitar de plantar o mal e começarmos a plantar só boas sementes, pois, no tempo determinado colheremos bons frutos.
Mas não é sempre assim, hora ou outra em nossas vidas nos deparamos com situações que nos fazem perder o controle e tiramos o foco nas sementes boas e acabamos pegando sementes amargas, as vezes até mesmo sem perceber, por falta de cuidado, mansidão, sensibilidade e amor ao próximo, enfiamos a mão na saca de sementes ruins, pois elas também estão sempre conosco ao lado das boas, e a lançamos na terra que a recebe da mesma forma que receberia a boa, mas quem a plantou talvez nem percebe na hora, ou durante o crescimento, mas logo chega a colheita, aí é certeza de que não foram sementes boas, pois os frutos não são bons,  são frutos de sofrimento e não de alegria, de confusão e não de paz. 
Por isso é bom termos cuidado, vigilância, equilíbrio na hora de lançar as sementes, ou seja, não usar as sementes ruins, por mais que estejam ali junto das boas, pois ela não desaparecem de nossas vidas, nós apenas temos que aprender a não usá-las.
Para que, com o tempo, quando passarem várias colheitas boas de nossas vidas as outras pessoas possam sozinhas perceberem os bons frutos em nós. 
Não há necessidade de espalhar a todos a semente que  plantamos, pois ela germinará, crescerá e a plantação aparecerá com certeza, seja ela boa ou má. 
E os frutos serão notáveis.


segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Morrer para viver.


Meu viver por certo não deveria ser viver, 
poderia morrer um pouco para começar viver.

Viver nem sempre é viver, 

as vezes para viver melhor é preciso morrer.
Morrer nem sempre é morrer,
se abnegamos a vida aprendemos viver. 

Quem me dera se de um dia pro outro amanhecer morta 

e então de uma hora pra outra começar a viver.

Livre seria da morte se a vida em mim renascer.

Vivendo genuinamente não recearia morrer.
A morte é só uma mudança, pra quem deseja viver.

Morrer para aprender a viver.

Viver é se deixar morrer.






quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Medo


Uma vez eu disse: 

"Não tenho medo de sofrer por amor, mas tenho muito medo de sofrer sem amor, não por perder alguém, mas por nunca ter encontrado alguém."


Hoje penso um pouquinho diferente, mas que vale a pena mencionar; 


Ainda não tenho medo de sofrer por amor. 

Mesmo porque O amor é sofredor, faz parte do amor sofrer.
É benigno, faz um bem acima do sofrimento que causa; 
O amor não é invejoso, te faz crescer mais; 
O amor não trata com leviandade, o amor é sensato.
Não se ensoberbece, pelo contrário, edifica. 
Não se porta com indecência, ele se resguarda;
Não busca seus interesses, pensa no outro, não é egoísta; 
Não se irrita, é doce; 
Não suspeita mal, confia;  
Não se acomoda com a injustiça, se conforta com a verdade;
Tudo sofre, sem murmurar;
Tudo crê, sem duvidar; 
Tudo espera, sem se fatigar;
Tudo suporta sem relutar.
O amor nunca falha, prevalece.

Simplesmente porque é amor.


A diferença que sinto hoje e penso um pouquinho diferente é que ainda não tendo medo de sofrer por amor, mas continuo tendo medo de sofrer por não aprender a amar.


O meu medo não é sofrer é amar.


domingo, 2 de agosto de 2015

Questão





Ser ou não ser, eis a questão...
Questão de ser feliz, 
questão de estar de bem comigo acima de tudo 
ou só de bem com os outros?
Pode ser as duas coisas, 
posso ser feliz estando em paz comigo mesma 
e assim em paz com os outros. 
Mas nunca seria feliz sujigando minha vontade, 
meu eu, minha natureza para satisfazer os outros.
E por que não ser, se posso ser?
Feliz com todos, inclusive comigo.
Então continuo de onde estava... 
Esperando, pois, escolhi.


Resenha
Ser ou não ser é questão?
Questão é não ser para ser.
Ser feliz é a razão,
da questão e do viver.
Viver é fora de questão,
Pra quem só quer satisfazer.
Sou o que sou e sem razão,
Sem razão alguma de o ser.